Skip to content
ADOTAMOS AS MELHORES PRÁTICAS

Só o respeito pelos animais assegura a melhor qualidade dos produtos que comercializamos.
  • Partilhar
  • Ouvir

Bem-estar animal

De modo a cumprirmos a nossa missão de levar os melhores alimentos até à mesa dos nossos clientes, adotamos as melhores práticas de bem-estar animal. Os critérios que definimos são transversais a todas as companhias do Grupo. Proibimos a utilização de hormonas de crescimento e só permitimos antibióticos para fins terapêuticos, nunca de forma preventiva ou para estimular o crescimento. Também é obrigatório o atordoamento de todos os animais antes do abate, com exceção de rituais religiosos certificados (menos de 5% dos casos).

De modo a assegurar o cumprimento dos nossos princípios, realizamos testes laboratoriais regulares e auditorias de qualidade e segurança alimentar aos nossos fornecedores e nos matadouros utilizados pelo Grupo em Portugal, Polónia e Colômbia.

Testes em animais

Não consentimos que se realizem testes em animais durante o desenvolvimento dos nossos produtos em nenhum dos países onde estamos presentes.

Biotecnologia e OGM

A nossa Política de Organismos Geneticamente Modificados (OGM) determina que os produtos de Marca Própria e perecíveis não utilizam ingredientes ou aditivos transgénicos ou geneticamente modificados seja de origem vegetal ou animal. Colaboramos com os fornecedores para compreender os processos de produção e avaliar os padrões de segurança e de qualidade, e realizamos análises laboratoriais regulares através de entidades independentes e acreditadas.

As nossas Companhias garantem, junto dos fornecedores, a identificação e rastreabilidade de OGM nos casos em que não seja possível a substituição. Também asseguram o direito dos consumidores à informação sobre a presença de OGM através da rotulagem dos produtos.

Carne

A Biedronka, o Pingo Doce e o Recheio disponibilizam frango do campo de Marca Própria de produção 100% nacional. No caso da Biedronka, os frangos são ainda criados sem antibióticos e alimentam-se de rações sem OGM. Nas operações em Portugal estão incluídos critérios de bem-estar animal nos cadernos de encargos de vitelas comercializadas, angus e novilho de produção biológica.

Ovos de galinhas não enjauladas

O nosso compromisso é assegurar que, até 2025, 100% dos ovos frescos de Marca Própria serão de galinhas criadas no solo, criadas ao ar livre ou criadas ao ar livre em modo de produção biológica. Estes três sistemas definem critérios que promovem o bem-estar animal e exigem, entre outras condições, mais área disponível por galinha, fardos de palha para que os animais os possam bicar e maior liberdade de movimentos.

Desde 2019 que o Pingo Doce só vende ovos de galinhas não enjauladas no seu sortido de Marcas Próprias. No final de 2021, a Biedronka deixou de adquirir ovos frescos de galinhas enjauladas aos seus fornecedores, antecipando em quatro anos o cumprimento da meta estabelecida. A Biedronka só vende ovos frescos de Marca Própria desde o final de 2019.

Práticas adotadas na Jerónimo Martins Agro-Alimentar

A Jerónimo Martins Agro-Alimentar tem a certificação para Utilização Responsável de Antibióticos nas suas operações de produção de carne e na vacaria, tendo obtido a classificação global de “100%” que garante que a utilização de antibióticos é feita apenas com fins terapêuticos.

As mesmas operações têm certificação em Bem-Estar Animal Welfair™, de acordo com os referenciais europeus Welfare Quality e AWIN®, tal como a produção de ovinos.

Mais de 90% dos produtores que abastecem a fábrica de laticínios da Terra Alegre têm a certificação Welfair™ com base no referencial AWIN®, o que permite comunicar nas embalagens de leite fresco Pingo Doce a certificação em bem-estar animal segundo o protocolo Welfair™ com o selo AENOR. O protocolo segue quatro princípios essenciais: alimentação, condições de ambiente, saúde e comportamentos apropriados dos animais.

Conheça algumas das medidas que nos permitiram alcançar estes resultados:

 CARNE BOVINA DE RAÇA ABERDEEN ANGUS

A produção é feita numa área maior ou igual a 6,5 m2 por animal, com piso de cimento rasgado ou borracha para evitar que os animais escorreguem e se magoem. É ainda garantida a reposição diária de palha fresca nas camas para promover o conforto e bem-estar.

 VACARIA

Disponibilizamos pelo menos uma cama por vaca e 0,6 m de espaço de comedouro. Todos os animais têm acesso a escovas automáticas de massagem e música ambiente para reduzir o stress. Os animais têm um colar de monitorização de atividade que permite identificar, através de alterações de comportamento, o diagnóstico precoce de patologias, contribuindo para a redução da utilização de fármacos.

Nas operações de vacaria e de produção de angus asseguramos:

  • formação obrigatória em bem-estar animal a todos os colaboradores em contacto com os animais;
  • vacinação e desparasitação a 100% dos animais;
  • proibição da utilização de choques elétricos, paus ou qualquer sistema que possa ferir os animais na sua condução e maneio;
  • um sistema de arrefecimento automático com ventoinhas;
  • que 100% dos animais estão livres de mutilação (ex., corte de caudas e remoção de chifres) e têm liberdade de movimentos.
PRODUÇÃO DE OVINOS

Garantimos uma área mínima de 0,6 m2 por animal (acima da recomendação de boas práticas de 0,5 m2), e uma alimentação à base de forragem e concentrado. Nenhum dos animais é castrado nem apresenta dificuldades de locomoção.

AQUACULTURA DE ROBALO E DOURADA

Asseguramos a vacinação de 100% dos peixes que se desenvolvem em mar aberto e com uma densidade igual ou inferior a 15 kg/m3. De igual forma, 100% dos animais produzidos estão livres de mutilações (ex., corte de barbatanas). No abate recorre-se à utilização de água gelada para arrefecimento rápido da temperatura corporal, de forma a insensibilizar o animal.

Jerónimo Martins Agro-Alimentar

Conheça em detalhe a área criada em 2014 para apoiar a operação de Distribuição Alimentar.