Skip to content
CONTRIBUIR PARA UM FUTURO POSITIVO PARA A FLORESTA

Adotamos práticas que asseguram a produção sustentável de commodities como o óleo de palma, madeira e papel, soja e carne bovina.
  • Partilhar
  • Ouvir

Combater a Desflorestação

Sabemos que a desflorestação é uma das principais fontes de emissão de gases com efeito de estufa e que a procura global de commodities agrícolas é uma das maiores causas de pressão sobre as florestas. Para além de todo o potencial de sequestro de carbono e regulação do clima que oferecem, as florestas são o habitat para cerca de 80% da biodiversidade terrestre.

Há vários anos que o Grupo Jerónimo Martins tem procurado gerir de forma responsável a incorporação das principais matérias-primas associadas à desflorestação (óleo de palma, fibras de madeira e de papel, soja e carne bovina) quer nos produtos, quer nas embalagens das Marcas Próprias.

Desde 2014 que mapeamos a presença de ingredientes associados à desflorestação nos nossos produtos de Marca Própria e perecíveis, recolhendo informação quanto à origem e certificação de sustentabilidade junto dos fornecedores.

Somos membros da Roundtable on Sustainable Palm Oil (RSPO) desde 2017 e, desde 2019, da Round Table on Responsible Soy (RTRS), duas iniciativas que promovem o alinhamento com as melhores práticas de sustentabilidade na produção de óleo de palma e de soja. A Biedronka é um dos membros fundadores da Coligação Polaca para o Óleo de Palma Sustentável (PKZOP), cujo objetivo é certificar, até 2023, 100% do óleo de palma na Polónia.

Em 2020, o Grupo subscreveu a Forest Positive Coalition of Action (FP CoA) do The Consumer Goods Forum, que define as ações que asseguram que os produtos de Marca Própria e perecíveis seguem critérios de sustentabilidade ambiental e social. A FP CoA também incentiva os principais traders dessas matérias-primas e os fornecedores de Marca Própria e perecíveis a assumirem objetivos de combate à desflorestação, definindo ainda indicadores de progresso e estimulando a divulgação pública dos resultados.

Classificações no CDP Florestas em 2021

Somos o único retalhista alimentar mundial, pelo terceiro ano consecutivo, a obter o nível liderança (A-) em três commodities associadas ao risco de desflorestação.

A-

PARA ÓLEO DE PALMA, SOJA E CARNE BOVINA

B

MADEIRA E PAPEL

Óleo de palma

A nossa estratégia para o óleo de palma assenta na substituição por óleos alimentares com melhor perfil nutricional e em assegurar, progressivamente, a origem sustentável para o remanescente presente nos nossos produtos.

Desde 2019 que 100% do óleo de palma presente nos nossos produtos de Marca Própria e perecíveis em Portugal e Polónia tinha certificação RSPO, o que assegura a origem sustentável.

Na Colômbia, o nível de certificação RSPO é relativamente baixo face ao total produzido. Por este motivo, a Ara aderiu à iniciativa do governo colombiano “Acuerdo de Voluntades para la Deforestación Cero en la Cadena de Aceite de Palma en Colombia” , com o objetivo de assegurar que o óleo de palma utilizado nas Marcas Próprias e perecíveis não induz desflorestação.

Soja

Trabalhamos para assegurar maior robustez nas origens declaradas para a soja utilizada na ração animal, com especial enfoque nas categorias de carne de aves e de porco, onde reside a maioria da materialidade da soja presente na nossa cadeia de abastecimento.

Em 2021, a incerteza associada à origem da soja presente de forma direta ou indireta na Marca Própria e perecíveis* baixou para 15% (metade do que era em 2020), o que levou a maior visibilidade sobre a soja proveniente de países com risco de desflorestação, que passou para 52% do total (mais 15 p.p. face a 2020). Apesar deste aumento, os nossos fornecedores indicaram que 17% desta soja tinha certificação de sustentabilidade, como o Round Table on Responsible Soy (RTRS) ou ProTerra.

Madeira e Papel

O objetivo do Grupo é atingir, até 2030, os 100% de certificação das fibras virgens utilizadas nos nossos produtos e embalagens. Em 2021, 81% das fibras virgens utilizadas nos produtos e 70% nas embalagens tinham certificação FSC® ou PEFC.

Em 2021 verificou-se um aumento no consumo de fibras virgens de madeira e papel em produtos de Marca Própria associado às vendas de papel higiénico e toalhitas de higiene pessoal. Contudo, apenas 0,4% das fibras tem origem em países com risco de desflorestação** e dessas, 99% são de florestas geridas de forma sustentável uma vez que apresentam certificação FSC® ou PEFC.

Em relação ao papel e madeira utilizados em embalagens em 2021, mais de 80% das fibras são recicladas (face a 70% em 2020), enquanto que, nas fibras virgens, houve um aumento das provenientes de países com risco de desflorestação, representando 14% do total (deste universo, 96% com certificação FSC® ou o PEFC).

Carne Bovina

Conseguimos, em 2021, rastrear toda a carne bovina utilizada nas Marcas Próprias e perecíveis até, pelo menos, ao país de origem. Com base neste trabalho foi possível aferir que 0,5% do total tinha origem no Brasil, um país com risco de desflorestação associado à produção de gado bovino. Apesar da reduzida exposição que temos para este ingrediente, mantemos a nossa participação no grupo de trabalho de carne bovina, no âmbito do Forest Positive Coalition of Action do CGF.

Notas:

* São contabilizados os cinco tiers de quantificação de soja na cadeia de valor, de acordo com a metodologia “Calculation guidelines for the measurement of embedded soy usage in consumer goods businesses” do CGF, disponível em: www.theconsumergoodsforum.com.

** Os países em risco de desflorestação considerados, são definidos de acordo com as guidelines do The Consumer Goods Forum (CGF) para a soja, para a madeira e papel, e para a carne bovina.

Verificação Independente

Os dados referentes ao mapeamento da presença de ingredientes associados à desflorestação nos produtos de Marca Própria e perecíveis foram verificados por uma entidade externa e independente no âmbito do Relatório e Contas de 2021 do Grupo. 

 Conteúdo Relacionado