Preferimos local

Preferimos relações duradouras com fornecedores locais, garantindo a máxima frescura, ao mesmo tempo que estimulamos a produção, incentivamos a criação de emprego local e reduzimos a pegada carbónica.
  • Imprimir

Parcerias: fornecedores locais e inovação

No Grupo Jerónimo Martins optamos, sempre que possível, por fornecedores locais como forma de estimular a sustentabilidade socioeconómica das comunidades onde estamos presentes e de minimizar a pegada de carbono gerada pelos nossos produtos.

É por isso que apenas recorremos à importação de produtos nas seguintes situações:

  • quando há escassez de produto por motivos de sazonalidade na produção, um fenómeno comum nas categorias de Fruta e Vegetais;
  • quando não existe qualquer produção a nível nacional ou, no caso em que haja, esta não tenha volume suficiente para garantir o abastecimento sustentado das nossas lojas;
  • quando a relação qualidade-preço dos produtos nacionais impede o cumprimento do nosso compromisso junto dos consumidores de proporcionar qualidade ao melhor preço.

 

Produtos comprados a fornecedores locais (2016)

Portugal
84%
Polónia
92%
Colômbia
95%

Como promovemos a produção local

Em todos os países em que estamos presentes realizamos acções de sensibilização junto dos consumidores para promover a preferência por produtos de origem local.

Em Portugal, os nossos produtos de Marca Própria e Perecíveis encontram-se identificados com as etiquetas “O Melhor de Portugal Está Aqui”, “Produzido em Portugal” e “Fruta 100% Portuguesa”.

Na Polónia, os produtos são identificados com a etiqueta “Polski Produkt” (Produto Polaco) ou com a etiqueta “#jedzcopolskie” (Coma o que é Polaco).

Na Colômbia, os produtos levam as etiquetas “Hecho en Colombia” (Feito na Colômbia) e “Una Marca de Ara” (Uma Marca Ara).

Inovação na oferta de produtos locais

Estas acções proporcionam aos consumidores o acesso a um sortido variado, ao mesmo tempo que estimulam relações de parceria e o desenvolvimento de competências junto dos fornecedores do Grupo.

PORTUGAL 

Variedades pouco desenvolvidas em Portugal foram comercializadas nas lojas do Grupo, proporcionando aos clientes o acesso a um sortido variado de legumes e, ao mesmo tempo, estimulando o desenvolvimento de novas competências junto dos produtores. Os produtos incluídos neste projecto são a courgette redonda, a riscada e a amarela; a beringela riscada; o pepino doce e o bimi, uma variedade de brócolo.

POLÓNIA

Devido à cooperação com os seus fornecedores, a Biedronka foi pioneira ao disponibilizar o tomate malinowe (tomate framboesa) nas suas lojas durante todo o ano. Foi ainda realizada uma campanha de meios, distribuídos folhetos e afixados cartazes nas lojas para promover o consumo desta variedade nacional.

Imbuída deste espírito inovador, a Biedronka trouxe às suas lojas, em 2015, as maçãs Antonówka e as pêras Klapsa, bem como as batatas Irga e Bryza. Foi ainda lançada a “Kuchnia Passionata” (“Paixão pela Cozinha”), uma gama especial de produtos vegetais, com o objectivo de promover a utilização de variedades tradicionais polacas na confecção de refeições.

Em 2015, a Biedronka estabeleceu uma rede de fornecedores de morangos, com o objectivo de reduzir o tempo entre a colheita e a disponibilização do produto nas lojas, tendo sido possível comercializar 650 toneladas em 2016.

Parcerias

Consideramos que o trabalho em parceria e a sensibilização para a sustentabilidade podem transformar desafios em oportunidades.

PORTUGAL 

Apoiamos tecnicamente os produtores portugueses de borrego, vitela, porco, frango e peru, promovendo a escolha de rações à base de cereais e aconselhando quanto a modelos eficientes de gestão e de distribuição.

Mantemos um relacionamento directo com uma cooperativa de pescadores da zona de Sesimbra, assegurando-se a qualidade e a competitividade dos preços e a prática de artes de pesca tradicionais que permitem a regeneração sustentada das espécies.

Em 2016, o Pingo Doce manteve a medida extraordinária de apoio aos produtores portugueses de produtos frescos membros da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), antecipando para uma média de 10 dias o prazo de pagamento.

POLÓNIA

Na Polónia, a Biedronka duplicou a comercialização de galinha do campo, assegurando a sua venda em todas as lojas da insígnia sendo o único retalhista na Polónia a garantir este método de criação com uma duração de 70 dias.

COLÔMBIA

Na Colômbia, a Ara tem vindo a trabalhar com o objectivo de estabelecer relações estáveis e de parceria com fornecedores colombianos. Em 2016, colaborou com 85 fornecedores locais que forneceram mais de 500 produtos de Marca Própria.