Skip to content
Procuramos o equilíbrio

Entendemos que só uma abordagem eficiente ao consumo de recursos naturais pode promover a protecção dos ecossistemas.
  • Partilhar
  • Ouvir

Alterações Climáticas

Adoptamos um comportamento responsável e pró-activo com o objectivo de minimizar a pegada de carbono resultante das nossas actividades.

Pretendemos reduzir os consumos de energia e de água e optamos por gases refrigerantes com menor impacte ambiental, porque entendemos que só uma gestão eficiente dos recursos naturais pode ajudar a mitigar os impactes da nossa actividade.

Classificação para o CDP Climate Change
A-

(Nível Liderança)

Classificação para o CDP Water Security
B

(Nível Gestão)

O CDP – Disclosure Insight Action (anteriormente Carbon Disclosure Project) é uma organização sem fins lucrativos que incentiva investidores, empresas e cidades, a medirem e gerirem riscos e oportunidades em matérias de ambiente. Em 2019 foram analisadas mais de 8.400 empresas, que representavam metade da capitalização bolsista global.

PEGADA DE CARBONO

Em 2019, a nossa pegada de carbono reduziu 15,4% em termos absolutos, o que se justifica, sobretudo, pela aquisição de certificados de energia renovável em Portugal.

Com este resultado cumprimos o objectivo de reduzir em 5%, por cada 1.000€ de vendas, a Pegada de Carbono do Grupo no triénio 2018-2020.

CONSUMOS DE ENERGIA E ÁGUA

O nosso compromisso com a gestão eficiente de recursos leva-nos, não só a optimizar o seu consumo, mas principalmente a implementar iniciativas que visam combater as alterações climáticas.

Nos projectos de construção e de remodelação das nossas infraestruturas, procuramos integrar critérios como:

  • sistemas de controlo e gestão de energia;
  • móveis refrigerados e arcas congeladoras com portas e tampas;
  • tecnologias de iluminação mais eficientes, como LED e instalação de claraboias;
  • instalação de energias renováveis;
  • sistemas de racionalização dos consumos de água: redutores de caudal, torneiras com temporizadores, sensores de regulação para máquinas de gelo e recolha de águas pluviais para utilização em sistemas de rega ou de lavagem de equipamentos.

Desde 2014 que estas medidas implicaram um investimento superior a 145 milhões de euros, tendo sido evitada a emissão de mais de 230.000 toneladas de CO2e.

Com o projecto “Equipas para Gestão dos Consumos de Água e Energia”, procuramos sensibilizar os colaboradores das nossas lojas em Portugal para a racionalização do uso de energia e água. Entre 2011 e 2019, poupámos 341.653 m3 de água e 48.080.140 kWh de electricidade, que se traduzem num valor acumulado superior a 6,1 milhões de euros.

Nos edifícios de escritório, lançámos em 2015 em Portugal o projecto “Let’s Go Green”, com o objectivo de fomentar a adopção de práticas mais responsáveis na utilização de energia, água e papel, e promover boas práticas de reciclagem. Entre 2015 e 2019, reduzimos o consumo de electricidade em 289.013 kWh. Motivados pelos resultados obtidos, alargámos este projecto em 2019 às sedes da Biedronka e da Ara.

ENERGIAS RENOVÁVEIS

Investimos em sistemas renováveis de energia, tais como a climatização passiva pelo solo, a utilização de colectores solares para aquecimento de água, postos de iluminação alimentados com painéis fotovoltaicos e paineis fotovoltaicos para autoconsumo de electricidade nas nossas infraestruturas.

Em Portugal e desde 1 de Julho de 2018, a electricidade contratada e necessária para as operações das nossas insígnias é proveniente de fontes renováveis. No mesmo ano, iniciámos a autoprodução de energia eléctrica, no Centro de Distribuição de Algoz e na loja do Recheio de Tavira, tendo em 2019 avançado para a instalação de painéis fotovoltaicos no Centro de Distribuição de Alfena e em três lojas da Biedronka.

O investimento em energias renováveis resultou, em 2019, na produção de cerca de 5,2 milhões de kWh, o que representa um aumento de 18%, face a 2018.

No Grupo Jerónimo Martins a energia proveniente de fontes renováveis já representa mais de 500.000 MWh, ou seja, 25% do total da energia consumida em 2019.

PROCESSOS LOGÍSTICOS

Como a nossa actividade principal é a Distribuição, procuramos reduzir os impactes ambientais associados aos processos logísticos ao longo de toda a nossa cadeia de valor, minimizando o consumo de matérias-primas e recursos energéticos e reduzindo ainda a quantidade de emissões e resíduos.

Através do nosso programa de backhauling, que consiste na optimização de rotas e maximização de carga, recolhemos, nas viagens de retorno, paletes vazias provenientes das nossas lojas e mercadoria dos fornecedores. Entre 2011 e 2019 recolhemos cerca de cinco milhões de paletes, poupando 68,3 milhões de quilómetros em viagens, o equivalente a quase 89 viagens à lua de ida e volta, e tendo evitado a emissão de 64,2 mil toneladas de CO2e.

O Pingo Doce iniciou em 2019 um projecto de fronthauling, que prevê que a rota de regresso das viaturas dos fornecedores às suas instalações após entrega dos produtos nos nossos Centros de Distribuição passe a incluir a passagem por lojas do Grupo para entregar mercadoria. Foram entregues 21.894 paletes nas lojas Pingo Doce, tendo sido poupados 71.783 km e evitada a emissão de 63 toneladas de CO2e.

Na Ara foi iniciado, em 2019, o projecto by-truck, recorrendo a atrelados para transporte de mercadorias entre os Centros de Distribuição e as lojas mais distantes, resultando numa poupança de 24.080 km e evitando a emissão de 19 toneladas de CO2e.

81% das viaturas de transporte de mercadorias em Portugal, 95% na Polónia e 32% na Colômbia cumprem os requisitos Euro 5 e/ou Euro 6 definidos pela União Europeia.

GASES DE REFRIGERAÇÃO

Para reduzir as emissões de carbono associadas aos sistemas de frio e climatização, recorremos a tecnologias de controlo de fugas e, de forma crescente, utilizamos gases de refrigeração naturais.

Para reduzir as nossas emissões de gases com efeito de estufa associadas aos gases de refrigeração, desenvolvemos as seguintes iniciativas:

  • Substituímos gases fluorados por gases de refrigeração natural (ex.: dióxido de carbono e amoníaco) em centrais de refrigeração.
  • O Centro de Distribuição de Alfena dispõe de equipamentos de arrefecimento e refrigeração através de CO2 (máquinas de gelo, câmara de congelados e de refrigerados da cantina).
  • 328 lojas Biedronka, 264 lojas Pingo Doce, 38 lojas Recheio e 193 lojas da Ara têm arcas congeladoras que recorrem unicamente a propano.
  • Também se encontram instaladas tecnologias de refrigeração que recorrem unicamente a CO2 em 76 lojas e uma cozinha central do Pingo Doce, 10 lojas do Recheio, 912 lojas e seis Centros de Distribuição da Biedronka e um Centro de Distribuição da Ara, o que corresponde a cerca de 25% do universo total de lojas do Grupo.
  • A Fábrica de Lacticínios e sete Centros de Distribuição (cinco do Pingo Doce e dois da Ara) têm armazéns refrigerados (frio positivo e/ou negativo) com sistemas mantidos a amoníaco combinado com glicol, o que representa mais de 45% do universo destas instalações no Grupo.

Sempre que possível, as novas lojas e as sujeitas a grandes remodelações recorrem a equipamentos com fluidos de baixo potencial de aquecimento global (aquecimento, ventilação e ar condicionado) e de gases refrigerantes 100% naturais (instalações de frio industrial).

Verificação Independente

Os dados referentes à Pegada de Carbono do Grupo, consumos de água e energia (incluindo poupanças obtidas com o projecto “Let’s Go Green”), água reciclada, descargas de água e emissões de gases com efeitos de estufa foram verificados por uma entidade externa e independente no âmbito do Relatório e Contas de 2019 do Grupo.

Conteúdo Relacionado