Skip to content
Combatemos o Desperdício

Apostamos na prevenção, minimização e valorização dos resíduos gerados, não só pela nossa actividade, mas também através da sensibilização dos nossos consumidores.
  • Partilhar
  • Ouvir

Gestão de Resíduos

Acreditamos no impacto positivo da sensibilização dos nossos colaboradores e das populações para a adopção de práticas de prevenção e minimização de resíduos – assim como para a sua correcta separação – que contribuam para uma valorização dos mesmos e para uma poupança dos recursos naturais.

 

CARACTERIZAÇÃO E VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS

Apostamos na valorização dos resíduos que produzimos. Em 2017, encaminhámos para valorização mais de 84% dos resíduos produzidos. No total, gerámos 446.564 toneladas de resíduos, um aumento de 6,3% face ao ano anterior. Este acréscimo deve-se ao crescimento das operações do Grupo.

 

Desperdício Alimentar

Enquanto especialistas alimentares, o combate ao desperdício de comida em todas as frentes é, para nós, um desígnio.

Foi por isso que assumimos como compromisso, no âmbito do Consumer Goods Forum, a redução em 50% do desperdício alimentar gerado pelas nossas operações até 2025, tendo como referência o ano de 2016.

Assim, continuaremos a trabalhar, através das parcerias que temos com os nossos fornecedores e com centenas de instituições de solidariedade, para que esse objectivo seja atingido.

Nas relações com os fornecedores, compramos fruta e vegetais não-calibrados que, anteriormente, eram abandonados nos campos.

Procuramos, desta forma, contribuir para a redução do desperdício a montante das nossas operações, ao mesmo tempo que garantimos que estes produtos, cujo perfil nutricional é igual aos outros, são integrados na cadeia de valor, chegando à mesa dos consumidores.

A fruta e os vegetais vulgarmente chamados de “feios” são assim incorporados nas sopas que confeccionamos em Portugal e na Polónia ou são transformados em produtos de 4.ª gama, ou seja, soluções alimentares de conveniência de vegetais cortados e lavados prontos a utilizar. Estes produtos “feios” são também vendidos, na sua forma original, a um preço reduzido nas lojas Recheio.

Foi desta forma que, em 2017, assegurámos a introdução na cadeia de valor de 13.600 toneladas destes produtos “feios”, o que traduz um aumento superior a 2% face a 2016.

Materiais Consumidos

É nosso objectivo promover cadeias de abastecimento e práticas de consumo mais sustentáveis, através do conhecimento aprofundado das origens e dos métodos de produção de recursos materiais que consumimos, de que são exemplos o papel e o plástico.

 

Consumo de Papel

Desenvolvemos projectos não só para promover a utilização de papel proveniente de florestas geridas de forma sustentável quando absolutamente necessário mas também para reduzir efectivamente o consumo de papel.

Na Polónia, o papel utilizado nos nossos escritórios é produzido por empresas certificadas ambientalmente ou que, pelo menos, tenham um sistema de gestão ambiental certificado. Na Colômbia, o papel que utilizamos é fabricado a partir da cana-de-açúcar. Já em Portugal, o papel vem com a denominação de “Rótulo Ecológico Europeu”.

Ainda em Portugal, o papel utilizado na impressão das revistas das nossas insígnias é certificado pelo Programme for the Endorsement of Forest Certification (PEFC) ou pelo Forest Stweardship Council (FSC) e/ou as empresas que o produzem têm a certificação ISO 14001. O papel utilizado para os folhetos e catálogos tanto do Pingo Doce como do Recheio também “Rótulo Ecológico Europeu” ou certificação FSC ou PEFC. O mesmo acontece para os folhetos que produzimos na Polónia.

Também adoptamos práticascomo a gestão electrónica da facturação o que permitiu, em 2017, poupar mais de 7,85 milhões de folhas, salvando assim a vida de cerca de 940 árvores.

 

ECODESIGN DE EMBALAGENS

Uma estratégia de sustentabilidade eficaz implica a mudança de práticas internas, mas também o incentivo à adopção de processos mais responsáveis por parte dos fornecedores.

Temos trabalhado em conjunto para melhorar o perfil de eco-eficiência das embalagens com o objectivo de:

  • reduzir o impacte ambiental das embalagens de Marca Própria;
  • optimizar os custos de produção, transporte e gestão de resíduos das embalagens.

Desde o início do projecto, em 2010, e até 2017, já poupámos cerca de cerca de 3,4 mil toneladas de materiais por ano e evitámos a emissão anual de 475 toneladas de carbono em transportes, melhorando a eco-eficiência das embalagens em mais de 270 referências de produtos de Marca Própria.

 

EMBALAGENS REUTILIZÁVEIS

No Grupo Jerónimo Martins, cobramos pelos sacos de plástico distribuídos nas caixas de pagamento de todas as nossas Companhias, promovendo assim a redução da sua utilização pelos clientes. Esta iniciativa tem sido progressivamente adoptada desde 2007.

Em Portugal utilizamos caixas plásticas reutilizáveis nas áreas de Perecíveis e de Lacticínios. No mesmo sentido, na Polónia utilizamos caixas de plástico reutilizáveis para o acondicionamento e transporte de pequenos equipamentos electrónicos. Já na Colômbia, disponibilizamos caixas de transporte reutilizáveis para água engarrafada e para fruta e legumes.

ECOPONTOS

Disponibilizamos ecopontos nas nossas lojas para os nossos clientes. Em 2017, destacamos os seguintes resultados:

  • Na Biedronka, 97% do parque de lojas oferece ecopontos para recolha de pequenos electrodomésticos, lâmpadas fluorescentes e pilhas.
  • No Pingo Doce, 88% do parque de lojas disponibiliza pelo menos um formato de ecoponto para recolha de resíduos. Nestas lojas é possível encontrar ecopontos para pilhas, lâmpadas, óleos alimentares usados e cápsulas de café, entre outras tipologias.
  • A valorização das cápsulas de café e tampas/rolhas/caricas resultou em mais de 3.500 euros que reverteram para instituições de solidariedade social.
  • Na Ara, e com a revisão do quadro legal colombiano, o projecto de recolha de pilhas usadas pelos clientes na Colômbia foi reactivado, tendo sido colocados novos ecopontos em 186 lojas (47% do total do parque de lojas em 2017).
  • Em 2017, os nossos clientes depositaram no total das lojas do Grupo mais de 600 toneladas de resíduos.

Conteúdo Relacionado